Blog

MARKETING E DESIGN

O marketing é entendido pela maioria das pessoas como uma atividade voltada para a venda e para o lucro. Certamente o marketing considera a necessidade de incrementar a venda de produtos e serviços, porém o que realmente interessa para essa atividade é tornar supérfluo o esforço de venda. Segundo Peter Drucker (2010); “Pode-se considerar que sempre haverá a necessidade de vender. Mas o objetivo do marketing é tornar supérfluo o esforço de venda”. 

Agradar consumidores cada vez mais atentos e exigentes à oferta de bens e serviços se tornou um desafio carregado de entrelinhas, visto que a máxima de Peter Drucker (2010), “não é a empresa que define o mercado, é o cliente”, é parte de uma realidade paradoxal que define a identidade coletiva de forma consciente aos olhos das corporações. De acordo com a competitividade do mercado e os padrões de consumo exaltados pela mídia, o marketing pode ser visto como mais uma engrenagem da máquina hiper-moderna. Assim como o Design e a Publicidade que de forma integrada motivam o Realismo Materialista.

Por outro lado, o Marketing uma prática ocupada com a satisfação das demandas sociais, mesmo que essas sejam postergadas pela lucratividade. Sendo assim, o marketing influencia e é influenciado pela estrutura social de classes, baseadas em estilos de vida diferentes, modelados pelo princípio do valor arbitrário. A arbitrariedade é oriunda da interação entre o valor cultural e o valor industrial, portanto, partindo do ponto de vista social podemos definir o marketing de forma mais ampla:

“Marketing é um processo social pelo qual o indivíduo e grupos obtêm o que necessitam e desejam por meio da criação, da oferta e da livre troca de produtos e serviços de valor com outros” (MICHAILOVSKY, Sérgio. 2009).

Para tornar supérfluo o esforço de venda é importante conhecer o mercado de forma ampla e o usuário de forma sensível. Essa tarefa é desempenhada da melhor maneira quando a trinca (Design, marketing e publicidade) operam interdisciplinarmente. Eles avaliam as necessidades do usuário e criam valor de marca. Depois comunicam ao mercado oferecendo um valor simbólico pelo resultado – assim um carro pode valer mais do que 100 hectares de terra!

O Designer avança sobre os fundamentos do marketing sem a pretensão de ocupar o seu lugar, ao contrário disso, constata que o projeto de Design testa a sua própria viabilidade econômica através da leitura do marketing. O Design está em busca de soluções para resolver necessidades do usuário através de um artefato, mas o marketing está trabalhando para prospectar a oportunidade que surge com a identificação dessa necessidade.

“Os resultados provêm do aproveitamento das oportunidades e não da solução dos problemas. A solução de problemas só restaura a normalidade. As oportunidades significam explorar novos caminhos” (DRUCKER, Peter. 2010).

Dessa forma, o Marketing monta uma logística de trabalho e atuação para a prospecção de informações relevantes para o projeto, em contrapartida, o Design traduz essa estatística social criando os preceitos da estética e da forma. Sendo assim, tanto o Design quanto o Marketing podem contribuir para a meta sustentável que tenta livrar a indústria da moda das eco-perseguições.

Quero receber mais informações do coletivo

Creative Commons License by-nc-nd Expurgação 2007-2015