Blog

Grito Rock Vitória

No próximo domingo, 16 de março, o Grito Rock vai rugir no Centro Histórico de Vitória, na Rua Nestor Gomes, 227 à partir das 16:00 hrs!

Nesta edição teremos o lendário Spôrro Grosso, os canelas verdes do The Muddy Brothers, o RAP que promete deixar todo mundo “balançando o cócxis” do VÃO VÃO VÃO e o santo da casa Fepaschoal encerrando os trabalhos. Além disso vamos realizar uma projeção dos quadros do nosso professor/mestre Norton Dantas Medeiros, que veio a falecer recentemente e deixou um legado artístico fantástico. Utilizaremos os prédios vizinhos como suporte para as projeções.

Paralelo ao evento vai acontecer o BECO CULTURAL DAS PULGAS, um mercado aberto de usados para troca e venda, além de integração com artistas, estilistas e expositores das mais diversas áreas. E as 20:30 da noite na sede do Folgazões, acontece o espetáculo O Outro estreando a temporada da companhia de teatro.

As ações fazem parte do Arranjo Produtivo Local, a APL Corredor Criativo Nestor Gomes que foi selecionada recentemente por um edital do Ministério do Desenvolvimento.

A entrada é livre!

Sporro Grosso

No fim da década de 90 no estado do Espírito Santo a cena punk rock e hard core capixaba viveu uma de intensa produção cultural e surgiram bandas como Tutu Com Ovo, Pé do Lixo, Lordose pra Leão, Mukeka Di Rato, Dead Fish. A banda Spôrro Grosso vem dessa geração de bandas, com uma sonoridade mais voltada para o punk rock bubble gum sendo um pouco mais lento do que o hard core tradicional, sendo talvez a única no estilo do Estado.

Com dois discos Independentes Gravados e letras que vão de ateísmo a reforma agrária, atraiu multidões nas periferias da Grande Vitória. Músicas como “Darth Vader”, “Maria palco”, “Eu tenho medo do Homem de bem”, “Meus pais destruíram os meus sonhos” entre outras, a banda faz parte da cultura punk rock dos jovens capixabas a mais de dez anos. Outra característica marcante é o humor e a performance de palco forte e visceral sem nenhuma vaidade e interagindo com o público.

O Spôrro Grosso, atualmente é formado por Logan na guitarra, O Thiazinha no vocal, Will na bateria e Wagner no contra-baixo, esta em fase de gravação de seu primeiro disco independente intitulado “Virgem Vagina” com 10 músicas inéditas e uma coleção de antigas gravações, previsto para o final do ano de 2013 ou inicio de 2014 comemorando 14 anos de banda.

The Muddy Brothers

Fundada no final de 2012, a The Muddy Brothers é uma banda de Blues Rock oriunda de Vila Velha (ES). Contando com influências diretas do som do Delta Blues americano e do RocknRoll dos anos 70, o trio capixaba se baseia na união de voz, guitarra e bateria para criar um som cru e repleto de energia.

Formada por João Lucas (Voz e Gaita), Will Just (Guitarra e Violão) e Renato Just (Bateria), a banda recentemente em Novembro de 2013, lançou o seu trabalho de estréia, o disco-experimento “Handmade“, gravado e produzido de forma totalmente independente pelo trio, desde mixagem a produção da arte gráfica.

Recentemente a banda competiu com mais de 300 bandas do País e venceu o concurso “Rock on Top” patrocinado pela AXE e Club NME Brasil, onde foram escolhidos por um júri especial para tocar ao lado de nomes como Beck, Blur, Lana del Rey, The Roots, Travis e outras, abrindo o Festival Planeta Terra 2013.

A The Muddy Brothers se formou e caminha movida pela paixão dos integrantes pelo som e coragem dos blues man americanos, que moveram o mundo batendo o pé no chão e arranhando seu violão. Muddy Brothers é isso. Só que com muito drive e fuzz.

Vão Vão Vão

Na música “Não Me Toques” a Vão Vão Vão faz a seguinte pergunta: De que adianta ir pro rock se não for pra balançar o cóccix?
A banda aparece com a proposta de fazer dançar.

Formada no ano de 2013, com remanescentes da lendária banda Methânia, a trupe ataca com versos, rimas e uma vontade de não deixar ninguém quieto.

Com um set autoral, o grupo tem o rap como fio condutor, acrescentando outros gêneros – que vão do funk ao rock – e fazendo uma experimentação sonora dançante.
Depois de quase um ano trancada em estúdio, a Vão Vão Vão sai para a rua e pretende se apresentar para o público, fugindo de algum nicho específico. Um EP e um álbum também estão nos planos da banda, a serem trabalhados no ano de 2014.
Vão que vão, tá tudo certo!

VÃO VÃO VÃO é:
Vinícius Fábio (baixo)
Renan Bono (guitarra)
Caetano Monteiro (bateria)
Pataca (voz)
Duc (voz)

Fepaschoal

Fepaschoal é brasileiro, compositor, músico, produtor, garimpeiro de ritmos e genitor de trabalhos de relevância na cena artística do Espírito Santo. Começou a atuar em 2008 lançando gravações caseiras que rapidamente lhe proporcionaram convites para shows, dentro e fora do seu estado, e acesso à editais públicos de cultura.
É membro fundador do Expurgação, coletivo artístico de Vitória orientado no princípio de colaboratividade, diretamente alinhado à noção de economia criativa como forma sustentável para realização de seus trabalhos multidisciplinares, que vêm consolidando-se desde 2007.

Seu primeiro disco, CMDO Guatemala (lê-se “Comando Guatemala”), lançado em janeiro de 2011, tem, até os dias de hoje, conquistado boas críticas, além de numerosos downloads e audições em sites como Toque no Brasil e Trama Virtual. Neste último site citado,
manteve-se entre os três discos mais tocados durante uma semana.

Suas influências vão desde Tom Zé, Gilberto Gil, Noriel Vilela, Hermeto Pascoal, Adelino Nascimento, Mukeka di Rato, Nirvana, Palenque Colombiano, Fela Kuti, Orchestra Baobab, Miles Daves, John Coltrane, James Brown, Baden Powell, Manguebeat, Beastie Boys, Radiohead, Pharoah Sanders, até Paulo Leminski, Manoel de Barros, Fernando Pessoa, Fernanda Tatagiba, Gabriel Garcia Marquez, José Saramago, Arnaldo Antunes, Jean Basquiat, Huemerson Leal, Sebastião Salgado, Akira Kurosawa e Alejandro Jodorowsky.

Homenagem a Nortton Dantas de Medeiros

Além disso vamos realizar uma projeção dos quadros do nosso professor/mestre Nortton Dantas Medeiros, que veio a falecer recentemente e deixou um legado artístico fantástico. Utilizaremos os prédios vizinhos como suporte das projeções de suas obras lúdicas e conceituais, de um teor simbólico direto. Confira o vídeo abaixo que ele explica a sua obra e o que pensa sobre a arte:

O festival Grito Rock

De Paris à Pororoca. O Grito Rock Mundo volta a conectar o planeta no início deste ano. Fomentando assim uma rede de produtores que conecta vilarejos de 400 habitantes, como Sagarana em Minas Gerais, à grandes centros econômicos do mundo, como Manhattan, em Nova Iorque (EUA).

Produzido de forma colaborativa desde 2007, o festival  foi criado como uma alternativa ao carnaval em Cuiabá, capital de Mato Grosso (centro oeste brasileiro) e em 2014 acontece entre o período de 20 de fevereiro a 30 de março. O formato colaborativo permite que a cada edição mais produtores compartilhem experiências e fortaleçam a cadeia produtiva da música local ao mesmo tempo em que o festival amplia seu alcance no “Brasil Profundo”, criando também conexões em âmbito global.

Além de fomentar o cenário musical, o Grito Rock propõe possibilidades diversas de integração com outras linguagens artísticas através da criação de campanhas que incentivam desde transmissões ao vivo a ações ambientais, artes cênicas, atividades para crianças, formação livre, entre outras. Com dicas, sugestões e modelos, as campanhas trabalham a capacitação dos produtores para expandir o leque de ações em sua localidade.

As infinitas rotas e circuitos formados entre os eventos provoca a circulação de produtores culturais, midialivristas, artistas e formadores de opinião. Nesses 12 anos de realização do festival, milhares de bandas já circularam e no último ano 1500 shows já foram realizados. Para 2014 estão previstas cerca de 200 rotas conectando cidades da mesma região e festivais com datas próximas. As oportunidades, tanto para os shows como para as rotas, serão abertas pelo Toque no Brasil (www.tnb.art.br), portal de música que promove conexão entre produtores e artistas.

A iniciativa foi idealizada pelo coletivo Espaço Cubo em 2003 e, com a criação do Fora do Eixo em 2005, o projeto se ampliou de forma conceitual e geográfica. A cada edição ganha ainda mais repercussão e espaço nas cidades onde acontece, como em São Carlos (SP), onde o evento foi inserido no calendário oficial da cidade, e em diversas outras onde já construiu histórico e público. Através do festival, produtores de todo Brasil e mundo desenvolvem ações de fomento à música e criam possibilidades para implementação de um sistema de trocas de serviços, tecnologias e experiências.

As edições internacionais começaram tímidas e hoje já chegam a 40 países, tendo edições em 16 países da América Latina, ponto marcado na Europa e África e novas edições na Ásia e Oceania.

Para colaborar, interagir e saber mais sobre o Grito Rock, acesse http://gritorock.com.br e/ou entre em contato com gritorock@foradoeixo.org.br.

Serviço

Grito Rock Vitória
Local: Rua Nestor Gomes, 227 – Centro – Vitória/ES
Horário: 16:00 horas
Entrada Livre!
Informações: contato@expurgacao.art.br
3026-0998

Quero receber mais informações do coletivo

Creative Commons License by-nc-nd Expurgação 2007-2015