Blog

A tecnologia como linguagem e a produção dos sentidos na contemporaneidade

O Cineclube Filmes na Ilha apresenta nessa quarta-feira, três obras audiovisuais de força expressiva que pretendem ilustrar as questões da influência da tecnologia na cultura da civilização moderna. São elas: a produção mexicana “Reciclo  del  Biciclo”, o documentário cearense “Fractais Sertanejos”, e a produção capixaba “UMA”. Para tanto, o Cineclube convidou o diretor e roteirista Alexandre Barcelos, ganhador do prêmio de Inovação e Novas Linguagens no 18º Vitória Cine Vídeo, para apresentar o filme “UMA” e participar de uma conversa com interessados no assunto.

Nesta quarta-feira, dia 07 de dezembro, 19 h, no MAES.

Cineclube Filmes na Ilha fica no MAES – Museu de Artes do Espírito Santo. Avenida Jerônimo da Monteiro, 631, Centro – Vitória ES.

1. Reciclo  del  Biciclo:  é  uma  produção mexicana,  de  1999,  que  faz  experimentações  com materiais fílmicos (película e vídeo) e gêneros, «embaralhando» as eras dos elementos dofilme e das técnicas audiovisuais, para tratar de conflitos entre o novo e o antigo, usando como motivo os problemas dos transportes motorizados em relação as facilidades da bicicleta.

2. Fractais Sertanejos: um documentário cearense que parte da história de um operário da construção civil que torna-se artista ao sair do coma, esculpindo obras abstratas que denomina “TudoeNada”, semelhantes aos fractais estudados na física e na matemática do caos, para tratar dos processos  das  relações  da  arte  com  a  tecnologia,  numa  concepção  conceitual  e  filosófica.  A tecnologia como filosofia da arte.

3. UMA: a produção capixaba premiada no 18º Vitória Cine Vídeo é tecnologia em forma de ensaio poético: visão do planeta Terra como um macro-organismo vivo. Assim como as células, o homem participa desta rede energética pelo equilíbrio de um imenso sistema.

Quero receber mais informações do coletivo

Creative Commons License by-nc-nd Expurgação 2007-2015