Música

Fepaschoal ao vivo na Universitária

A utilização da frequência 104,7 costuma convergir intenções positivas que rendem atualizações conscientes. Confirmando essa expectativa, músicos capixabas foram agrupados para uma interessante apresentação via rádio na véspera do Festival Acusticamente. Sendo assim, o jornalista Vitor Lopes, presente no estúdio, expurgou um comentário que valeu essa exposição. Confira:

Lembro-me da primeira vez que ouvi o Fepaschoal. Eu era repórter do Caderno 2, mas não vivia atrás de novidades. Foi, então, desse modo que um amigo, que creio ter sido o Vitor Graize, hoje afastado jornalista, me apresentou o MySpace de um rapaz de Guarapari. As músicas tinham letras juvenis que falavam de relacionamentos, escola… alguns sentimentos tão contemporâneos e outros já distantes. Fêpas era um menino. Eu também. Fepas já mudou bastante. Eu também. Além dos inúmeros encontros que temos pela rua, tivemos mais um nos estúdios da Rádio Universitária FM, no último dia 07 de maio de 2012, para ocasião de divulgação do show Acusticamente. Não pedi que Fêpas tocasse nenhuma música em específico. Foi quando, para minha surpresa, ele me disse que tocaria uma música do início de sua virada musical (das inúmeras que eu sei que ele teve e, saudavelmente, terá): “Mimica”. Essa singela composição é, sem dúvida, a música que eu mais toquei ao violão em toda a minha vida. E falo com orgulho para os amigos que a música que eu mais toquei é de um cara simples, que mora em Vitória, um conhecido meu. Quando começou o programa (que também contou com apresentações de Voodoo, Alexandre Lima e Renato Casanova), Fêpas me fez viajar uns anos atrás. Com a mente emocionada, me transportei a um eu de outrora, ao lado de um Fêpas de outrora, mas que são essenciais para a nossa construção pessoal nesse momento.

Vitor Lopes

Quero receber mais informações do coletivo

Creative Commons License by-nc-nd Expurgação 2007-2015