Blog

Na Trilha Fotográfica de Leonardo Merçon

Aline Alves conta o novo horizonte alcançado pelo designer Leonardo Merçon através da fotografia da natureza:

O diretor e fotógrafo do Instituto Últimos Refúgios, o capixaba Leonardo Merçon, foi convidado a fazer parte de um projeto desenvolvido pelo Instituto Terra. O convite partiu dos próprios fundadores da instituição, o fotógrafo Sebastião Salgado e sua esposa, Lélia Salgado. 

O Instituto Terra é uma associação sem fins lucrativos, criada em 1999. Situada em uma fazenda na cidade de Aimorés, em Minas Gerais, o local foi a primeira região degradada a ser reconhecida como Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN). Desde então foi consolidado o instituto, que visa recuperar e preservar a área, originariamente coberta por florestas do bioma da Mata Atlântica.

O trabalho desenvolvido por Leonardo Merçon no Instituto Terra é bem semelhante ao que é realizado no Instituto Últimos Refúgios. Trata-se de fotografias, que mostram a biodiversidade que cada região revela. No caso do Instituto Terra, essas imagens serão utilizadas como ferramenta de sensibilização, tanto da sociedade como de possíveis apoiadores da iniciativa.

O convite
Leonardo Merçon recebeu o convite há cerca de um ano, do próprio Sebastião Salgado. Na ocasião, Salgado contou que conheceu o trabalho de Merçon através do livro “Últimos Refúgios: Parque Estadual Paulo César Vinha”, o primeiro lançamento do instituto capixaba.

Para Merçon, o convite é um reconhecimento do seu trabalho, e também de toda equipe do Instituto Últimos Refúgios. “Conhecer e receber esse convite de Sebastiäo e Lélia Salgado foi uma experiência fantástica, principalmente por me proporcionar estar próximo a pessoas que admiro tanto, pelo trabalho e pelas iniciativas humanitárias. Fiquei extremamente honrado e visto a camisa do Instituto Terra desde o primeiro momento em que ouvi a proposta. Ações como essas são de extrema importância para o nosso país e as futuras gerações… temos o dever de preservar o pouquinho que ainda nos resta e a responsabilidade de recuperar o que já destruímos”, afirma.

As expedições fotográficas feitas por Leonardo Merçon no Instituto Terra tiveram início em novembro de 2011 e devem durar até o final deste ano. Já foram registrados animais como gaviões, pica-paus, papagaios, seriemas, quatis, cachorros-do-mato, entre outros. O destaque é para o registro da jaguatirica: “Ela era uma lenda no instituto, todos duvidavam que jaguatiricas habitavam o local. Eu consegui fotografar pelo menos três animais, e pude perceber a diferença entre eles através das pintas, que são como digitais”, conta o fotógrafo. As imagens do felino ainda não podem ser divulgadas.

Instituto Últimos Refúgios
O Instituto Últimos Refúgios tem como foco a sensibilização ambiental através do registro documental de recursos naturais. Seguindo o lema “só protegemos o que sabemos que existe”, a instituição busca a conscientização necessária por meio de livros fotográficos e documentários que retratam as espécies de fauna e flora contidas em unidades de conservação.

Entre os lançamentos do instituto estão os livros sobre o Parque Estadual Paulo César Vinha e sobre o Parque Estadual de Itaúnas, este último também com documentário. Atualmente, está em produção o livro e documentário sobre a Reserva Biológica de Duas Bocas, com patrocínio do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) e da Cesan.

O Instituto Últimos Refúgios é responsável por dois feitos memoráveis na história da Reserva Biológica de Duas Bocas, ao conseguir o primeiro registro oficial da onça parda e do urubu-rei no local.

Para mais informações, acesse o site www.ultimosrefugios.com.br. O Instituto Últimos Refúgios também está no Facebook (www.facebook.com/ultimosrefugios) e no Twitter (www.twitter.com/ultimosrefugios).

Quero receber mais informações do coletivo

Creative Commons License by-nc-nd Expurgação 2007-2015